Sobre convênio, corte, recessão e coragem

🍯 #MelComPimenta 🌶

BOA NOTÍCIA: Estado prorroga convênio para terminar obras no HM

Verba para o Hospital Municipal (HM) Dr. Waldemar Tebaldi, em Americana, integra convênio anteriormente cancelado pelo governador João Doria (PSDB).

Em entrevista coletiva, o deputado federal tucano, Vanderlei Macris, anunciou a reativação do acordo, mas a prefeitura diz que foi graças ao esforço da administração municipal.

Que Macris e o Executivo briguem pelos méritos é normal, porém, o importante é que a cidade tenha direito a essa verba, que chega num momento crítico do HM. A população merece um hospital funcionando em melhores condições de atendimento que a atual.

A notícia está no Jornal Todo Dia e no Liberal de hoje (9).

MÁ NOTÍCIA: Corte orçamentário anunciado pelo governo pode provocar paralisia e morte de políticas sociais de saúde e de educação

“Ministério da Educação sofreu bloqueio de R$ 5,83 bilhões, o equivalente a 25% do valor previsto no Orçamento. Já a Saúde teve o congelamento de R$ 599 milhões, 3% do que foi orçado para 2019”, informa a Escola Politécnica de Saúde Joaquim Venâncio (EPSJV/Fiocruz).

Dói lembrar que, ao invés disso, a então presidenta Dilma Roussef (PT) havia anunciado que os rendimentos do pré-sal seriam justamente para a educação, bem como para a saúde.

RECESSÃOParticipação da indústria na economia brasileira é a menor da história

A indústria brasileira chegou, em 2018, depois de dois anos do golpe de Estado contra a companheira Dilma, ao patamar mais baixo em mais de 70 anos – não há dados do IBGE anteriores a 1947; no ano passado, esse setor respondeu por apenas 11,3% da atividade econômica do país; após a posse de Bolsonaro, a deterioração continua: no primeiro bimestre, a atividade industrial recuou 0,2% em relação ao ano anterior, já desastroso.

Como se vê, vamos de mal a pior! Só um grande líder para por ordem nessa casa que ameaça desabar. Adivinhe quem?

COM FORÇA E COM CORAGEM: Papa denuncia que ‘a rica Europa e a América vendem armas para matar as crianças’

“Somos artífices das diferenças, da dor e da pobreza. Por que hoje no mundo há tantas crianças com fome? É Deus que cria essa diferença? Não, é este sistema econômico injusto, onde a cada dia há menos ricos com mais dinheiro e mais pobres sem nada”, criticou Francisco, ao receber, em audiência, docentes e estudantes do Instituto São Carlos de Milão, no norte da Itália.

Segundo o site Religión Digital, Bergoglio denunciou: “Por que há tantas guerras? Se não houvesse armas, não fariam guerra. Por que fazem guerra? Porque nós, a rica Europa, e a América, vendemos armas para matar as crianças, as pessoas, somos nós que fazemos as diferenças”.

👨‍🏫 #VereadorProfPeSergio

Related posts

Leave a Comment