Profº Pe. Sergio pede informações sobre banco de sangue do HM

O vereador Professor Padre Sergio (PT) protocolou na secretaria da Câmara de Americana um requerimento em que pede informações do Poder Executivo sobre o banco de sangue do Hospital Municipal (HM) Dr. Waldemar Tebaldi.

No documento, o parlamentar aponta que o local estabeleceu um limite de coleta de quinze bolsas por dia, o que gerou questionamentos por parte de doadores. “Segundo a responsável pelo serviço, a medida visa economizar bolsas, que perdem a validade após 35 dias. Trata-se de um período em que as doações caem e há dificuldade de se manter o estoque e algumas pessoas questionam se as coletas além desse limite não poderiam ser encaminhadas para outros bancos de sangue da região”, aponta.

De acordo com o vereador, a medida acaba por desestimular a doação de sangue. “A ideia de poupar doador para que este venha outro dia também é duvidosa, porque geralmente ele se programa e avisa previamente o empregador que vai doar. Sem uma ampla divulgação, pode até perder o dia ou as horas de trabalho”, acrescenta.

No requerimento, Sergio pergunta qual a base legal para restringir o número de coletas, qual a média mensal de doações e de uso nos meses de junho a agosto de 2018 e se o limite diário foi discutido ou se foi uma decisão técnica isolada.

Questiona, também, se as bolsas de sangue são exclusivas para o HM ou servem a outros hospitais, se o banco de Americana pode atuar como distribuidor de hemocomponentes para outros serviços e o que o impede juridicamente de distribuir as doações que excederem as quinze coletas diárias.

O petista pede, ainda, informações sobre o contrato da Fundação de Saúde do Município de Americana (Fusame) com a empresa que gerencia o banco de sangue, sobre a estrutura e profissionais que atuam no local e sobre números mensais e anuais de bolsas coletadas na cidade.

A propositura será discutida e votada pelos vereadores em plenário, durante a sessão ordinária da próxima quarta-feira (19).

Related posts

Leave a Comment